Buscar
  • José Armindo

Psicologia Escolar - Dicas Para o Sucesso Escolar

A escola, por ser um meio complexo e exigente, por vezes produz ou torna evidentes problemas pessoais e de relacionamento que podem causar grandes dificuldades e sofrimento individual. O Sucesso Escolar não é apenas medido pelos resultados nas provas de avaliação. A escola é, ou deveria ser, sobretudo nos primeiros anos, um instrumento social de formação integral de pessoas, integradas numa sociedade com valores fundamentais comuns. As notas dos testes são apenas uma forma de avaliar um competência especifica de um tipo de aprendizagens. Mas não é disso que falaremos neste artigo. Neste artigo daremos alguns conselhos que podem ajudar a orientar o estudo e assim melhorar os resultados obtidos nos testes e exames.



Como é que as consultas de Psicologia podem promover o desempenho escolar? Uma das formas que a psicologia tem de melhorar o desempenho nas várias áreas do funcionamento humano é analisar as características pessoais e as técnicas utilizadas pelas pessoas que obtêm os melhores resultados, perceber como essa características e técnicas funcionam e actuam, divulgá-las e adaptá-las a cada indivíduo. Neste caso, interessa perceber o que fazem os alunos com os melhores desempenhos académicos:


Como se distinguem os alunos que obtêm sucesso escolar?


Ser bom ou mau aluno não é uma inevitabilidade genética. As pessoas não nascem bons alunos, aprendem a sê-lo. Os melhores alunos assumem o controlo do seu processo de aprendizagem, como?


1. Estabelecem objetivos de longo prazo e dividem-nos em objetivos de curto prazo


Quais são os passos para definir um objetivo?


1º identificação de um objetivo,


2º estabelecimento do plano para o alcançar,


3º implementação de um plano,


4º monitorização dos progressos,


5º avaliação do resultado.


Os objetivos de longo prazo devem ser repartidos em objetivos de curto prazo para facilitar a sua operacionalização e concretização.


É importante listar e ordenar os objetivos que queremos alcançar.


É importante antecipar os obstáculos que possam dificultar o cumprimento dos nossos objetivos e pensar em estratégias para os ultrapassar.


Para alcançar os nossos objetivos precisamos de trabalhar. Ou seja, será necessário esforço, duração e persistência, direção da atenção, planeamento estratégico, um ponto de referência. Um bom planeamento tornará todo o processo mais fácil.


2. Planificam e organizam o seu estudo. Não adiam a realização das tarefas para o último minuto e atempadamente, distribuem tempo suficiente para as diferentes tarefas de estudo: pesquisar, ler, redigir trabalhos, realizar projetos. Realizar listas CAF (Coisas a Fazer) pode ser um bom auxiliar para uma correta gestão do tempo.


3. Não esperam que lhes digam o que fazer: assumem a responsabilidade e o controlo da sua aprendizagem. Elaboram um plano para o seu estudo tendo em conta os seus recursos, a dificuldade da tarefa e o tempo disponível. No final desta fase estabelecem objetivos claros que orientam o seu agir.


4. Protegem o seu trabalho dos distratores que os desviam da sua tarefa. Escolhem os locais para trabalhar e estudar e, se necessário, alteram-nos, desligando a música, o telemóvel, refrescando ou aquecendo o ambiente.


5. Antes das avaliações, reveem as matérias procurando testar a solidez das ligações entre os conteúdos estudados. Tentam antecipar perguntas que podem sair nos exames, completam testes anteriores, e realizam exercícios para testar a solidez dos seus conhecimentos.





Como organizar o estudo?


1. Os alunos devem incluir na sua planificação do estudo um tempo para as revisões da matéria. Nesta fase devem ser elaboradas e respondidas questões formuladas pelos próprios ou constantes em exames anteriores.


a. Questões de baixa complexidade (e.g., quem? o que? quando? onde?) envolvem respostas relacionadas com fatos, datas, definições, listas.


b. Questões de elevada complexidade (e.g., como? Porquê? E se? Como é que “a” se relaciona com “b”?, vantagens e desvantagens de… quais são os pontos fortes e os fracos de…) requerem aplicar a informação aprendida a uma nova situação, resolver problemas, analisar. Comparar e ou contrastar informação, desenvolver um novo plano ou solução.


2. Nesta etapa o aluno deve centrar-se na revisão de apontamentos, resumos, esquemas ou exercícios já realizados durante o estudo anterior, tentando fortalecer as ligações entre os conteúdos.


3. Tentar explicar os conceitos por palavras próprias ajuda a sedimentar os conceitos.





Quais os cuidados a ter durante a realização do exame?


É aconselhável ler o exame até ao final certificando-se do número total de perguntas de forma a planificar a alocação do tempo para cada questão.


1. Questões de resposta múltipla:


a. Ler com cuidado as instruções da prova, tempo, penalizações para respostas erradas;


b. Determinar quanto tempo pode dedicar a cada questão, tendo em atenção a sua ponderação na nota final.


c. Controlar a impulsividade. Ler todas as opções de cada questão antes de responder.


d. Saltar as questões que não consegue responder imediatamente.


e. Riscar as respostas não plausíveis. Centrar-se nas alíneas que são muito similares, tentando discriminar as diferenças.


f. Se não souber a resposta, antes de assinalar uma resposta “adivinhada”, certificar-se de que compensa responder, atendendo às eventuais penalizações para respostas erradas.


g. Se tiver tempo, retornar às questões que deixou para trás.


h. Rever as respostas, dedicando mais tempo àquelas em que hesitou.


2. Questões de desenvolvimento:


a. Ler com cuidado as instruções gerais e respeitar o que é pedido.


b. Se for oferecido uma escolha, não responder a ambas as questões.


c. Ler com cuidado todo o exame e certificar-se de que entendeu o que é pedido em cada questão. Tomar notas enquanto prepara a resposta.


d. Dividir o tempo pelas diferentes questões do exame.


e. Se ajudar, alterar a ordem das respostas, assinalando devidamente o fato.


f. Fazer um esquema que oriente a resposta, garantindo uma sequência lógica na apresentação das ideias e dos argumentos.


g. Cuidar da apresentação e da grafia, garantindo legibilidade.


h. Rever as respostas, pelo menos as de pontuação superior.


3. Rever o teste antes de o entregar, tentando detetar algum erro. Numerar e assinar todas as folhas de exame.



Como posso tirar melhores apontamentos?


1. Tirar apontamentos envolve atividade em três momentos: antes, durante e depois da aula, mas também antes, durante e depois da leitura de um texto ou do visionamento de um filme.


2. Elaborar questões à medida que se lê, orienta a leitura para encontrar as respostas e ajuda a aumentar a qualidade da compreensão.


3. No processo de tomada de apontamentos (aulas, workshop, documentários, texto lido) não se deve escrever tudo o que se diz, mas sim tomar notas com as próprias palavras (ex. recorrer a abreviaturas).


4. Na tomada de apontamentos é fundamental estar atento aos sinais do professor que calibram a importância da informação.


5. Para tomar apontamentos pode ajudar:


a. Escrever questões espelho, a que os apontamentos/ notas pessoais respondam.


b. Escrever um sumário que descreva o tema ou as ideias principais da aula, recorrendo à elaboração de questões, ao sublinhado ou a pequenos resumos que nos ajudam na concentração da atenção, mas também nas revisões finais.


c. Usar a técnica cornell e apontar dúvidas ou inconsistências dos apontamentos para esclarecimento posterior com o professor ou com os colegas. Depois da aula, logo que possível, é importante corrigir os apontamentos e completá-los.



Porque é que esquecemos?


1. Não pode haver aprendizagem sem focalização da atenção.


2. Para melhorar o funcionamento da memória:


a. Agrupa a informação solta em unidades com significado.


b. Codifica significativamente a informação organizando o material, ligando conceitos sólidos na rede semântica da memoria de longo prazo.


c. Estabelece redes familiares. O princípio é simples: quanto melhor dominares um tema, mais fácil é aprender e recordar.


d. Recorre a pistas. Quanto mais pistas conseguires estabelecer entre o material a aprender e o contexto onde a aprendizagem ocorreu, mais fácil será estabelecer uma ligação e recordar esse material.


3. Sugestões para melhorar a atenção:


a. Pratica. Esforça-te por concentrar a atenção nas tarefas e não só no contexto académico.


b. Reduz a competição de tarefas secundárias com a tarefa principal. Prioriza e põe ordem nos pensamentos e ações que te “afastam” da realização da tarefa.


c. Combate os distratores internos e externos.


d. Estuda num ambiente que favoreça o trabalho, se necessário, modifica-o.


e. Faz intervalos para recarregar energia, evitando a dispersão da atenção.


f. Descansa e alimenta-te convenientemente. Se não fizeres pausas durante o estudo este renderá menos, terás menos atenção, memória e será mais difícil compreender e memorizar.




Em jeito de conclusão, sabemos que nem sempre as notas que obtemos nos testes representam aquilo que somos capazes de fazer, também sabemos que nem sempre o método de estudo utilizado é o mais adequado, dependendo da disciplina e dos objetivos delineados.


Se te sentires nesta posição, com dificuldades em organizar o estudo ou a selecionar a técnica de aprendizagem mais adequada para ti, então poderás procurar a ajuda de um psicólogo.


Neste processo, o psicólogo deverá começar por conhecer o teu perfil de aprendizagem, isto é, descobrir de que forma estudas e aprendes melhor. Com base nisso, poderá delinear um plano de intervenção tendo em vista o desenvolvimento de competências de autorregulação da aprendizagem que poderá passar, por exemplo, pela gestão do tempo, técnicas de motivação, organização e planeamento de uma sessão de estudo, dicas para ler um texto, sublinhar, resumir, esquematizar, entre outras.


Dispomos da ajuda de que necessita. Se desejar marcar consulta de Terapia de Crianças, Terapia com Adolescentes ou de Orientação Vocacional com a Liliana Correia, basta telefonar 962 399 605.

Para mais informações, poderá consultar o nosso site e aí poderá ver os horários e serviços disponíveis, assim como os preços praticados. Pode ainda contactar através do e-mail psicologia.criançasecasais@gmail.com. Seremos breves a responder.

Dias Úteis - Psicologia e Psicoterapia - Crianças e Casais

Rua de Sá da Bandeira, 612, 1º Dto. 4000-431 Porto

De Segunda a Sábado, das 10.30 às 19.30.





Liliana Correia, Junho de 2022

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo