Buscar
  • José Armindo

Orientação Vocacional - Ajudar a Escolher o Futuro Escolar e Profissional


Se estás no 12º ano e continuas indeciso, a Orientação Vocacional pode ajudar-te.


Vais concorrer ao Ensino Superior, mas ainda tens muitas dúvidas?

Tal como tu, milhares de jovens estarão nesta altura a pensar sobre o curso superior que querem frequentar a partir do próximo ano letivo.


Uns, já mais decididos, estão apenas ansiosos para saber se conseguem entrar no curso e na universidade desejados. Outros estão ainda em dúvida e sem saber que rumo seguir. Se estás a ler este texto, provavelmente és um dos futuros candidatos ao Ensino Superior que ainda mantém incertezas sobre o futuro e procura respostas para variadas questões: Será que me enquadro num curso superior? Quais as médias de acesso? Qual será a melhor universidade? Terei emprego? Quais serão as saídas profissionais? Terei o perfil adequado? Que tipo de apoios existem?


A escolha do futuro profissional pode revelar-se um desafio difícil e agora que frequentas o 12.º ano parece que de repente tudo se tornou mais sério e real.


É importante perceber que a escolha de uma determinada área não pode ser considerada estanque nem definitiva: a oferta escolar do nosso país está desenhada com alguma flexibilidade, o que permite ao aluno transitar entre áreas ou escolher uma profissão diferente daquela que pautou o seu percurso escolar sem ter necessariamente que repetir o(s) ano(s).


Se é verdade que existem alunos que têm muitas dúvidas sobre o seu percurso profissional, outros há que parecem ter já muitas certezas. Ainda assim, é importante explorar diferentes alternativas, uma vez que é recorrente aparecerem alunos que têm certezas do seu futuro apenas por pressão familiar ou por desconhecerem outras opções.



Mas, não será esta a primeira vez que pensas sobre as questões ligadas ao teu futuro profissional, certo? Fizeste-o no final do 9º ano escolar quando optaste pela área de ensino onde estás agora colocado. Esta primeira grande decisão foi, provavelmente, suportada por um trabalho de Orientação Vocacional e Profissional (OVP) promovido pela tua escola e cujo principal objetivo é o de ajudar o aluno a aumentar a confiança na tomada de decisão.


A Orientação Vocacional e Profissional é um processo contínuo e integral que envolve a avaliação do nível de competências e aptidões (competências reais do jovem nas diferentes áreas – verbal, numérica, abstrata, etc.), interesses (gostos, motivações), cruzadas com fatores contextuais (oferta educativa e formativa, mercado de trabalho) no sentido de promover a reflexão e o autoconhecimento, orientando o jovem para uma tomada de decisão consciente e ponderada.



Como é realizado o Processo de Orientação Vocacional?


O processo de Orientação Vocacional obedece geralmente a um procedimento estruturado: inicia-se com o diagnóstico de necessidades, onde se enfatiza a identificação de expectativas, a exploração de si próprio, do seu percurso e das redes de influência; recorre a aplicação de testes psicométricos que avaliam diferentes dimensões: aptidões, gostos e interesses profissionais, valores e personalidade. No final, tendo por base os resultados da avaliação exploram-se as diferentes opções de cursos onde o candidato poderá ver potenciadas as suas capacidades, habilidades e preferências, capacitando-o para a tomada de decisão.


Nesse momento, é criada uma lista de cursos superiores que melhor se enquadra no perfil de cada pessoa, exploram-se as condições de acesso tendo por base as universidades ou politécnicos existentes, onde poderão vir a estudar. Conhecem-se os planos de estudos e o percurso formativo para os próximos 3/5 anos. Este é o momento para ver esclarecidas todas as suas dúvidas (pré-requisitos, apoios, níveis de empregabilidade, cálculo da média final de curso, exames nacionais, melhorias de nota).



Num mercado de trabalho cada vez mais complexo e marcado por mudanças rápidas, a escolha dos caminhos que nos conduzem a uma profissão a seguir é, compreensivelmente, uma decisão difícil para os jovens. As incertezas, medo e ansiedade que estas decisões poderão gerar traduzem-se não apenas devido á multiplicidade de opções do sistema educativo e as suas articulações com o mundo do trabalho, mas, principalmente, pela pressão existente dos possíveis custos individuais e sociais de decisões de carreira menos adequadas.


As expectativas sociais e familiares inerentes ao percurso académico e profissional de um jovem, conjugadas com o impacto que as suas decisões terão no seu futuro, são importantes para o desenvolvimento e bem-estar psicológico dos jovens, os quais são “obrigados” a fazer escolhas muitas vezes sem a informação necessária para uma decisão mais consciente e refletida. Em todo este processo, as consultas de Orientação Vocacional orientam e informam as escolhas, ajudando a reduzir dúvidas e anseios, tornando a escolha mais informada e racional.


Para finalizar, nunca é demais relembrar: a decisão final será sempre tua e dos teus pais. O psicólogo apenas poderá aconselhar ou agir como facilitador, nunca como alguém que decide ou influencia a decisão.




Liliana Correia - Psicóloga - Psicoterapeuta

Orientação Vocacional, Psicologia Escolar, Terapia de Crianças e Adolescentes





19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo